Escrito por Max Lucado    Qua, 07 de Abril de 2010 22:00    PDF Imprimir E-mail
Esperanças frustradas
Avaliação do Usuário: / 7
PiorMelhor 
“Eu tinha no coração o propósito...”

ImageDavi queria construir um templo. E quem melhor do que ele para fazer isso? Não foi ele, literalmente, que escreveu o livro sobre adoração? Não foi ele que recuperou a arca da aliança? O templo teria sido seu canto do cisne, a obra assinada por ele. Davi esperara dedicar seus últimos anos à construção de um santuário para Deus.  

Pelo menos, essa fora sua intenção. "Eu tinha no coração o pro­pósito de construir um templo para nele colocar a arca da aliança do SENHOR, o estrado dos pés de nosso Deus; fiz planos para construí-lo" (1 Crônicas 28:2). 

Intenções. Planos. Mas nenhum templo. Por quê? Davi ficou desa­nimado? Não. Ele continuava disposto. As pessoas resistiam? Dificilmente. Elas davam com generosidade.

Então o que acon­teceu?
Apareceu uma conjunção. 

As conjunções funcionam como as luzes de um farol em sentenças. Algumas, como um e, são verdes. Outras, como um no entanto, são amare­las. Algumas são vermelhas. Vermelhas ditatoriais. Elas o fazem parar. Davi recebeu uma luz vermelha. 

Fiz planos para construí-lo, mas Deus me disse: "Você não construirá um templo em honra ao meu nome, pois você é um guerreiro e matou muita gente... Seu filho Salomão é quem construirá o meu templo e os meus pátios" (1 Crônicas 28:2-3, 6, grifo meu). 

O temperamento sanguinário de Davi custou-lhe o privilégio de construir o templo. Tudo o que ele podia dizer era... 

Eu tinha no coração o propósito...
Fiz planos...
Mas Deus...

Estou pensando em algumas pessoas que disseram as mesmas pala­vras. Deus tinha planos diferentes dos delas.
 

Um homem esperou seus 35 anos para se casar. Decidido a escolher a esposa certa, ele, devotamente, não teve pressa. Quando a encontrou, eles mudaram-se para o oeste, compraram uma fazenda e começaram a vida juntos. Após três curtos anos, ela morreu em um acidente.

Eu tinha no coração o propósito...
Fiz planos...
Mas Deus...

Um jovem casal transformou uma sala em um quarto de bebê. For­raram as paredes com papel decorativo, reformaram o berço, mas, então, a esposa sofreu um aborto.


Eu tinha no coração o propósito...
Fiz planos...
Mas Deus... 

Eu tinha no coração o propósito...
Fiz planos...
Mas Deus... 

O que você faz com os momentos da vida em que os "mas Deus" aparecem ?
 

O homem que perdeu a esposa não tem respondido bem. Enquan­to escrevo este livro, ele guarda muita raiva e amargura. O jovem casal está enfrentando melhor a situação. Eles continuam ativos na igreja e oram por um filho. E Davi? Quando Deus mudou os planos de Davi, como ele respondeu? (Você gostará disso.) 

Ele seguiu o "mas Deus" com um "no entanto, o Senhor". 

"No entanto, o SENHOR, o Deus de Israel, escolheu-me den­tre toda a minha família para ser rei em Israel, para sempre. Ele escolheu Judá como líder, e da tribo de Judá escolheu minha família, e entre os filhos de meu pai ele quis fazer-me rei de todo o Israel" (1 Crônicas 28:4). 

Reduza o parágrafo a uma frase e você terá: Quem sou eu para recla­mar?

Davi deixou de ser o tampinha para ser rei, de pastorear rebanhos para liderar exércitos, de dormir no pasto para viver no palácio. Ao ga­nhar um sorvete, você não reclama da cereja que está faltando.
 

Davi enfrentou o gigante da frustração com o seu "no entanto, o Senhor".

Davi confiou.
 Seu "mas Deus" tornou-se um "no entanto, o Senhor".

Quem dirá que com o seu não ocorrerá o mesmo?
 

Referencia livro: Derrubando Golias
 

por Max Lucado

Última atualização ( Qui, 08 de Abril de 2010 07:19 )
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar